Traga a natureza para dentro do seu lar

Traga a natureza para dentro do seu lar

E tenha uma experiência ímpar

Sabe aquela paixão por plantas? Acredito que algumas pessoas também tenham esse mesmo sentimento, que gera uma indagação: Como cuidar e cultivar plantas em casa ou apartamento? Eu não sou especialista no assunto do cuidado e cultivo botânico, até porque minhas experiências anteriores foram frustrantes. Muitas vezes tive vontade de desistir delas. Há uma frase popular mais ou menos assim: ‘Se você estiver com vontade de algo, então sente, tome e coma alguma coisa e deixe à vontade passar.’ (Rsrs). As gerações passadas dizem por sua vez, que precisa ter mão boa para o cultivo e cuidado com as diversas espécies.

Recentemente voltei a cuidar de plantas, porque creio que elas trazem um ar de aconchego na decoração da casa e uma beleza que somente a natureza pode proporcionar. A sensação de bem-estar, tranquilidade, paz, alegria e muito mais, é o que me inspira, principalmente quando tenho a oportunidade de adquirir ou ganhar uma nova espécie.

Quero compartilhar com vocês minha renovada tentativa com três plantas que podemos cuidar sem medo de fazer mal e da facilidade de seu cultivo no dia-a-dia. Abaixo, listo as minhas escolhas que coloquei no meu lar. São elas:

  1. Lírios da Paz – Tenho dois tipos: Lírio da paz gigante e Lírio da paz pequena. O lírio da paz, também conhecido como Espatifilo ou Bandeira branca. É uma flor originária dos países da Venezuela e Colômbia. Sua cor branca, significa a paz, mas elas podem se tornar meio esverdeada em ambientes com pouca luz. Ou seja, gosta de meia sombra, pouca água, e no verão é recomendado rega-la três ou quatro na semana, já no inverno é bom fazer isso até duas vezes sem encharca-la. O ideal mesmo é observa essa espécie e notar sua aparência. Se estiver murcha, então, precisará de mais água. Saiba algumas dicas para o cultivo do Lírio da Paz:
    • Verificar se a terra está úmida ou seca. Umidade é um bom sinal que tudo está bem, ao contrário é bom regar sua planta;
    • Adube até três vezes ao ano, pois essa espécie responde positivamente ao cuidado;
    • Corte as folhas e flores secas, afim de deixa-la sempre bonita;
    • Intercale a irrigação nas folhas e terra, procurando observar as estações do ano e quantidade de água durante esses períodos;
    • Regue sempre pela manhã ou no final da tarde;
    • Mantenha fora do alcance das crianças e animais domésticos, pois a planta é tóxica. A ingestão das plantas pode causar irritação oral e de mucosas, irritação ocular, dificuldade de engolir e até problemas respiratórios em casos mais graves. Ainda podem aparecer como alterações nas funções renal e neurológica.

Fazendo esses procedimentos você perceberá que sua flor vai ficar maravilhosamente linda. As minha ainda não floresceram, mais não vejo a hora de vê-las linda e formosas no espaço que reservei em minha casa. Em pesquisa recente, descobri que sua inflorescência ocorre duas vezes por ano, entre os períodos de janeiro a março e julho a setembro.

 

  1. Palmeira Raphis – Essa é uma outra espécie linda e que adquiri a pouco tempo e ainda estou aprendendo a lidar com essa planta. A Palmeira Raphis costuma se desenvolver muito bem em ambientes internos. Sua origem é chinesa e também conhecida como Ráfis, Rápis, Palmeira-rápis, Palmeira-dama ou Jupati. Ela é relativamente resistente e exige pouco cuidado para manter a planta saudável e bonita. Segue algumas dicas:
    • Você pode regar quinzenalmente, pois suporta bem se estiver em ambiente interno protegida do sol e da chuva;
    • No inverno a recomendação é regar uma vez por mês;
    • Excesso de adubo pode matar uma espécie. Se estiver plantada em solo adequado, o intervalo para o processo é no mínimo de 12 meses;
    • Se a Palmeira receber luz solar durante meio período, o melhor é regá-la a cada dois dias;
    • Exposição solar constante é indicado realizar pequenas regas diariamente;
    • É uma espécie que não precisa da reposição frequente de nutrientes. Suas folhas devem estar sempre brilhantes, verdes e lisas. Se perceber manchas marrons (como se estivessem queimadas), verifique se você não está exagerando na rega, ou até mesmo na exposição em excesso de sol ou vento.

Quando adulta essa espécie pode atingir até um pouco mais de 2 metros de altura.

 

  1. Jiboia – De origem tropical, mais especificamente da Polinésia Francesa, um arquipélogo situado no Oceano Pacífico, é uma das razões de sua boa adaptação em solo brasileiro. Eu ganhei a minha ainda na forma de muda e está sendo cultiva em um pequeno vaso, mas logo que crescer pretendo pendurá-la. Ela é uma espécie de trepadeira e espero que em breve possa estar linda e esplendorosa na minha sala.

Suas folhas têm manchinhas amarelas, que a torna uma bela planta ornamental, contudo requer cuidados. A jiboia é tóxica e deve ser mantida longe do alcance das crianças e animais domésticos, como é o caso do Lírio da paz.

É uma planta de meia luz, e tem uma boa adaptação na sombra. Ela gosta de calor e de água, então o ideal é que você regue mais no verão e menos no inverno, quando as plantinhas entram numa espécie de hibernação. No verão, o recomendado é regar três vezes por semana, se estiver muito quente, já no inverno, até duas vezes na semana.

São três espécies magnificas e você pode optar por uma delas, ou fazer como eu, ter todas elas para alegrar e embelezar sua casa, e como já comentei anteriormente, trazer um ambiente mais aconchegante, refletindo em bem-estar, paz e alegria em sua vida.

Espero que essa matéria tenha lhe ajudado a tirar algumas dúvidas e temores em relação a cuidar e cultivar plantar no lar. Até a próxima e um grande abraço a todos.

Jackeline Jor

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.